Quem eu não sou.



Eu não sou mais menina, mesmo que pareça por vezes uma adolescente louca cá dentro de mim vive uma mulher suficientemente resolvida pro ponto da vida que se encontra agora.
Eu não sou aquela que quer e faz que não, se eu quero e vou e faço acontecer, já não acredito nos arrependimentos de coisas feitas.

Eu não sou boazinha nem tão frágil quanto aparento, nem tão arrogante quanto pensam
Eu não sou uma pessoa fácil de lidar, admito, tenho manias péssimas e não finjo sentimentos ou sensações, se eu falar “ai” é porque doeu de verdade, meu “não” é não e meu sim é “sim” eu não gosto do “talvez” e o “se” eu tenho medo de ouvir e vergonha de dizer.

Eu não gosto de muitas coisas mesmo, sou um pouco intolerante com o que julgo de mau gosto, às vezes sou superficial, mas quando tenho que ir a fundo, eu vou, INTEIRA.
Eu não sou “mais ou menos”, nem “morna” nem “sem sal”, juro que prefiro incomodar em demasia a não fazer diferença para nada nem ninguém, a indiferença me mata.

Eu não sou muito bacana não, sou tímida, gosto de ter pouquíssimos amigos e nem esses consigo manter, tenho extrema dificuldades em manter amizades, grupos, “galera”, etc.
Eu não sei dançar (sóbria), quando ébria creio que sou o ser humano mais dançante e amigo que existe, passo de “semi-anti-social” pra “pessoa mais social do mundo” em duas taças de champanhe, três doses de tequila ou algumas cervejas.

Eu não sou suave, eu sou intensa em tudo o que faço, em tudo o que sou.

Eu não sei ser quem eu não sou pra me adequar a qualquer coisa que seja, esse é um defeito grave, mas não gosto de mudar meu jeito pra agradar ninguém não, acho que venho perdendo a paciência a cada ano que passa, me tornando um pouco intolerante. Apesar de não parecer eu fui me modificando com as experiências que passei, umas mais outras menos, mas todas me deixaram marcas inapagáveis pro resto da vida, é com essas marcas que hoje eu sigo caminhando e é por essas que eu me lembro que não vale a pena mudar o seu jeito pra agradar, só se for pra agradar a si mesmo, soa egoísta? Creio que essa é a palavra sim, é feia né? Machuca pra caramba também, mas é a única que não vai deixar que te machuquem (muito). Doar-se só é bonito se você quiser ser um santo, se você quiser sobreviver pense mais em sentir-se bem consigo, doe-se a si mesmo, desfrute a sua presença, as pessoas estão cada dia mais sozinhas e a coisa ta caminhando pra isso mesmo, e não adianta vir com discurso de mudar o mundo começando por você, porque no fim meu amigo, você vai ter amor pra dar, mas não pra quem dar.

Maria Clara Carrilho - 13/12/2011

2 comentários:

Sebar disse...
21 de dezembro de 2011 16:53

PELO SEU JEITO DE SER E ESTAR, PODE-SE AFIRMAR QUE É UM NOVO TEMPO PARA O SEU TEMPO EM BUSCA DO OUTRO TEMPO COM O TEMPO...
BEIJOS NO TEMPO,
SEB@R

Maria Clara disse...
25 de dezembro de 2011 08:30

Obrigada Sebar! em tempo e no tempo!

Back to Home Back to Top Trocando em miúdos. Theme ligneous by pure-essence.net. Bloggerized by Chica Blogger.